Consumidor e Shopper, existe diferença entre eles?

Muitas pessoas acreditam que o ato da compra é racional, mas esse pensamento não é real. A responsável pela compra de itens de desejo além dos itens de necessidade é a emoção. Ela é o padrão inconsciente que rege o processo de compra.



Quando uma marca não atende às expectativas do consumidor, a substituição por outra será inevitável.

Setores responsáveis pelos estudos de comportamento do consumidor afirmam que o ser humano é emocional e as empresas estão transferindo isso ao âmbito das decisões de compra utilizando uma atmosfera sensorial como ferramenta importante. 

Nesse sentido, marcas e empresas devem ter como objetivo, atender as expectativas com sensações que sejam capazes de atingir tais emoções nos seus ambientes de lojas e produtos, provocando e evocando sonhos através de situações especiais e únicas, onde o consumidor possa compreender a diferença de uma marca para a outra em tais emoções. 

E, é aqui onde a marca tem como objetivo converter shoppers em consumidores reais. Mas, qual é a diferença entre eles?

Consumidor é o que realiza o papel no ato da compra de um determinado produto. Ou seja, ele consome o produto ou serviço. 
Já shopper refere-se ao papel da pessoa que vai comprar algo. Ele não necessariamente será o consumidor do produto ou serviço. Veja que, o papel de consumidor e do shopper podem ser exercidos pela mesma pessoa. Ou seja, quando a mãe compra um livro para sua filha, ela exerce o papel de shopper enquanto a filha exerce o papel de consumidor.

E, se no ato da compra a mãe comprar um livro também pra ela? Nesse caso, ela será ao mesmo tempo o consumidor e o shopper.
Entender esses diferentes momentos de compra são muito importantes para que a marca possa traçar estratégias de sucesso nas vendas de varejo. O shopper é a pessoa que avalia, durante o processo da compra, onde, como e o que quer comprar.

Podemos concluir que, para que uma marca tenha sucesso nas vendas, ela deve estruturar e organizar seu ponto de venda com uma comunicação eficiente, proporcionando um ambiente aconchegante e confortável utilizando o marketing sensorial como ferramenta de apoio e, acima de tudo, treinando a sua equipe de vendas para que atenda esse indivíduo da melhor maneira possível, transformando em consumidor (cliente). 

Quando uma marca não atende às expectativas do consumidor, a troca por outra será inevitável. Por isso, é importante que o lojista tenha esse conhecimento: shoppers e consumidores não se comportam igualmente e essa informação pode fazer toda a diferença para o seu negócio, para que a venda de fato aconteça e para que os consumidores lembrem da sua marca nas próximas compras.

Chris Corcino
Consultora de Negócios de Moda

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

ins